Hoje de manhã terminei com alegria Mar de Monstros,e como estou de bom humor explodindo(não digo porque) vim fazer a resenha deste segundo livro de Percy Jackson e Os Olimpianos.


Como eu já disse antes,é,eu sei; estou um pouco atrasada nessa série,mas pelo menos foi a tempo antes do filme!(Um "trauma" para muitos fãs pelo primeiro filme).Já tinha lido outra série de Rick Riordan,As Cronicas de Kane (Carter e Sadie ),e o crossover  entre Carter e Percy me chamou a atenção,dei uma olhada,e fiquei interessada em continuar PJO.

O primeiro livro,que li já há um tempo me deixou bem satisfeita,mas como nem sempre o primeiro livro é o melhor,e eu tinha deixado essa série um pouco de lado por um tempo,e depois decidi retomar e comprar o segundo.

O Mar de Monstros se inicia no fim do ano letivo de Percy,perto da ferias de verão e para ele voltar para o maravilhoso Acampamento Meio-Sangue,o lugar onde os semideuses podem ser eles mesmos e treinar para matar monstros. Percy, já mais acostumado com a ideia de ser um semideus super-poderoso, está ansioso com a ida para o Acampamento.Porém, prestes ao grande dia , um problema surge: a mãe dele avisa que desta vez não poderá ir, pois Quiron avisou que o Acampamento estava em grande perigo.Se retrai com a noticia, mas após um incidente com monstros na escola nova,ele,Annabeth,e seu novo amigo grandão Tyson vão para o acampamento juntos.

Chegando lá descobrem que o acampamento está em caos,e a arvóre de Thalia, que oferecia proteção contra a entrada de monstros, agora estava envenenada e enfraquecendo rápido, permitindo os monstros a atravessarem a barreira aos poucos.

Eles tomam uma decisão objetiva: para consertar essa situação e curar a árvore iriam precisar do Velocino de Ouro,uma especie de manta milenar feita de lã de carneiro da história mitológica de Jasão que revitaliza o lugar onde for colocado.

Só que ai está o problema,o Velocino atualmente não estava tão perto quanto eles gostariam; estavam em outro ambiente mitológico e extremamente perigoso,o Mar de Monstros,mais conhecido por nós mortais como Triangulo das Bermudas

Como se não bastasse, encontraram mais um problema: tem de salvar Grover da caverna do ciclope que guarda o Velocino antes que ele se torne refeição.



Nesse segundo livro da série PJO, Riordan continuou a narrar as aventuras de Percy de modo simples e objetiva, em 1ª pessoa.Mesclando fatos reais com explicações mirabolantes (e bem surrreais) num mundo mitológico retratado no século XXI.

Vemos um amadurecimento de Percy e Annabeth,e de outros acampantes,dentre eles Clarrise,a filha de Ares, também determinada a achar o Velocino.
Não é exatamente considerada antagonista,mas também não é considerada aliada de Percy,é um daqueles neutros bem imprevisíveis.Pode se aguardar muitos momentos surpreendentes com essa personagem.

Com o ritmo acelerado mas mesmo assim ainda achei a leitura leve e divertida,talvez por ser uma linguagem mais infato-juvenil e por ser em 1° pessoa (o que normalmente me irrita, mas nesse caso é razoável porque ver as coisas da visão de Percy é divertido).A leitura não é aquela coisa carregada de sentimentos,tanto porque Percy é mais impulsivo, porém de bom coração.

As passagens mitológicas se encaixaram bem,algumas não tanto quanto as outras.Não gostei muito da Donuts Monstro e a explicação sobre  como rede de lanchonetes surgem, porém as passagens envolvendo a obra-literária a Odisseia, uma das minhas histórias mitológicas-gregas preferidas, como Circe,o encontro com o ciclope Polifemo me impulsionaram mais para continuar a leitura pela curiosidade.

E agora o próximo livro A Maldição do Titã já esta numa posição bem privilegiada na minha wishlist,e quem quiser começar PJO eu recomendo,e antes do filme (isso eu já aprendi a lição).

Info: Paginas : 304 Editora: Intrinseca  I.S.B.N.9788598078441



Um Comentário

  1. Olá Manu!
    PJO é uma série que me encanta há anos. Mar de Monstros, incrivelmente, foi um dos livros que menos me surpreenderam e me fizeram apegar-se à história. Como você, narrativa em primeira pessoa para mim, geralmente, é bem dispensável. Mas o ponto de vista do Percy torna o livro todo bem humorado e com uma boa conduta. Você pretende ler Heróis do Olimpo?
    Acredite: Vale muito à pena! <3
    Um beijo!
    Paula, Poetisa & Literária

    ResponderExcluir